Busca


Coluna do Blog
Não foi por falta de sinais


Destaques
Deputada é empossada no último dia de trabalho
Aécio diz que Graça mentiu ao falar em CPI
Os números da legislatura na Alepe
Mandatos de eleitos ainda podem ser contestados
Doleiro declara ter apartamento de R$ 42,5 mil
PF nega proteção para ex-gerente da Petrobras
"Tem que saber perder", diz Dilma sobre impeachment
Julio Delgado faz campanha no Recife
Prefeito de Serra Talhada traça metas para 2015
Oposição quer Venina em nova CPI da Petrobras


Opinião


O futuro de Dilma - Adriano Oliveira
























TwitterTwitterRádio do MagnoRSS

15
05/11
Eduardo: ''Somos aliados, e não subservientes do PT''

ELEONORA DE LUCENA *

 Neto do governador Miguel Arraes (1916-2005), o governador pernambucano Eduardo Campos tem um discurso calculado e conciliador. Aos 45 anos, preside o Partido Socialista Brasileiro, o que mais cresceu nas últimas eleições. Reeleito com 83% dos votos, ele agora está nos comerciais do partido em rede nacional. Diz que não está em campanha para a Presidência.

Promete apoiar Dilma Rousseff em 2014 e afirma não está se descolando do PT. 'Não há como descolar o que não está colado.'
Nesta entrevista ele se declara preocupado com a economia e faz uma avaliação da cena política.

Folha - O sr. é candidato à Presidência em 2014?
Eduardo Campos
- Não. O cenário para 2014 aponta como natural a candidatura à reeleição da presidente Dilma. Estamos no projeto dela. Fizemos uma aliança estratégica com o PT, mantendo nossa identidade. Nunca tivemos uma posição subserviente. Essa posição fez o PSB crescer. Fomos o partido que mais cresceu nas últimas eleições. Não temos por que alterar esse rumo estratégico. Na política não tem fila.

Mas há a avaliação de que a sua campanha que está no ar significa um descolamento da presidente. O sr. fala em novo caminho pra o país.
Não há como descolar o que não está colado. Temos uma aliança política, mas temos identidades próprias. O Brasil foi caminhando, conquistamos a democracia, a Constituição, direito a ter regras estáveis, a estabilidade econômica, agora a causa da sustentabilidade, a responsabilidade fiscal. O governo do PSDB ajudou com a estabilidade fiscal. O governo Lula ajudou colocando o dedo na desigualdade. No PSB queremos ser uma opção para governar cidades, Estados.

E a Presidência?
Um dia será natural. O dia do PSB não é em 2014.

Que avaliação o sr. faz da cena política, com a base governista inchada e a oposição em crise?
Uma coisa dialoga com a outra. A oposição foi se deslocando da pauta real e ficou com uma pauta institucional. A campanha foi das mais despolitizadas. Quando isso ocorre, quem ganha sai fortalecido porque quem perde não deixa um pensamento.

Isso explica o movimento de Kassab e seu novo partido?
Sim, a falta de perspectiva, após a terceira derrota consecutiva. Leva o governo a ficar muito forte e a oposição, fragilizada. Isso é constante? Não. O quadro é dinâmico.  (*Folha de S.Paulo)

  Escrito por Magno Martins, às 08h00
 
Comentários Comentários (7) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

15
05/11
''Kassab: empertigado, ganancioso e mentiroso''

HELIO FERNANDES - Tribuna da Imprensa

 Está usando como moeda de troca, para atrair políticos e consolidar o seu partido novo com nome velho: “Tenho certeza de que Aecio Neves será candidato a presidente pelo PSD”. E conclui, como nova afirmação-adivinhação:

“Ele sabe que não terá legenda pelo PSDB”.

Aécio não sabe de nada. Realmente esteve em São Paulo e conversou com o prefeito. (Registrei o fato, esclarecendo que nem procurou Serra ou Alckmin). Mas também não assumiu compromisso com Kassab. A hora é de conversar. Não de se comprometer.

  Escrito por Magno Martins, às 07h30
 
Comentários Comentários (1) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

15
05/11
Lula médico

 O comissariado do Planalto precisa definir uma voz para tratar dos assuntos relacionados com a saúde de Dilma Rousseff.

Pode ser a dela, a do médico, até mesmo a de um porta-voz. Uma coisa é certa, quando Lula assume a cadeira de clínica geral da República, a credibilidade dos prognósticos confunde-se com a dele.

(Elio Gaspari)

  Escrito por Magno Martins, às 07h00
 
Comentários Comentários (1) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

15
05/11
Palocci multiplica patrimônio por 20 em quatro anos

 Semanas antes de assumir o cargo mais importante do governo Dilma Rousseff, o ministro Antonio Palocci (Casa Civil) comprou um apartamento de luxo em São Paulo por R$ 6,6 milhões. Um ano antes, Palocci adquiriu um escritório na cidade por R$ 882 mil. Os dois imóveis foram comprados por uma empresa da qual ele possui 99,9% do capital. Em 2006, quando se elegeu deputado federal, Palocci declarou à Justiça Eleitoral um patrimônio estimado em R$ 375 mil, em valores corrigidos pela inflação. Ele tinha uma casa, um terreno e três carros, entre outros bens.

Com o apartamento e o escritório, Palocci multiplicou por 20 seu patrimônio nos quatro anos em que esteve na Câmara -período imediatamente posterior à sua passagem pelo Ministério da Fazenda, no governo Lula. Nos quatro anos em que exerceu o mandato de deputado, Palocci recebeu em salários R$ 974 mil, brutos.

A quantia é insuficiente para pagar os dois imóveis que ele adquiriu. Os dois já foram quitados, de acordo com documentos aos quais a Folha teve acesso. Procurado pela reportagem, Palocci disse que as compras foram feitas com recursos da sua empresa, a Projeto Administração de Imóveis. O ministro da Casa Civil não quis identificar seus clientes nem informou o faturamento da empresa.(Informações da Folha de S.Paulo)  

  Escrito por Magno Martins, às 06h00
 
Comentários Comentários (4) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

15
05/11
E esse Orgulho Verde? quer a internacionalização da Amazônia
 Está no ar um site intitulado 'Orgulho Verde'. Radical defensor do meio ambiente, não identifica seus responsáveis e está hospedado num provedor americano. É tão radical que dá o que pensar. Diz o seguinte sobre a Amazônia: 'Se internacionalizássemos toda a região e criássemos uma espécie de Conselho Internacional composto por instituições ambientais mundiais e presidido por ONGs como a World Wildlife Fund e o Greenpeace, que são referência em preservação ambiental e têm competência o bastante para cuidar disso, certamente reverteríamos este quadro'. É direito de todos dizer o que bem entendem, mas convém identificar-se. O Greenpeace esclarece: 'Não temos nada a ver com esse 'Orgulho Verde' e muito menos com a tese de internacionalização da Amazônia'.  (Elio Gaspari)
  Escrito por Magno Martins, às 05h00
 
Comentários Comentários (2) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

15
05/11
Prefeitos de pires na mão: saudades da era Lula
 Prefeitos que saíram da marcha em Brasília com as mãos mais vazias do que nos anos Lula projetam dificuldades para se reeleger ou emplacar seus candidatos em 2012. Alegam que o aperto fiscal ordenado por Dilma Rousseff atingiu em cheio as administrações. Muitos estão com as avaliações despencando. Diante da incerteza macroeconômica e da perspectiva de reajuste de 13% no salário mínimo em janeiro, fruto de política aprovada pelo Congresso, os prefeitos temem chegar à campanha ainda mais sobrecarregados. E já reconhecem que a taxa de reeleição de 2008, de quase 70%, dificilmente se repetirá.(Painel - Folha de S.Paulo - Renata Lo Prete)
  Escrito por Magno Martins, às 04h30
 
Comentários Comentários (2) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

15
05/11
Serra já admite debater sua candidatura a prefeito de SP

 Um interlocutor frequente de José Serra notou uma diferença no discurso do ex-governador. Quando confrontado com o cenário de ter de disputar a prefeitura de São Paulo para se reafirmar na cena política, Serra descartava rispidamente a possibilidade.

Chegava até a dizer que queriam “ferrá-lo”.

Agora, no entanto, passou a considerar debater o assunto futuramente.

E é justamente isso que começa a preocupar seus aliados: o tempo que Serra levará para bater o martelo sobre a candidatura.(Radar - Veja - Lauro Jardim)

  Escrito por Magno Martins, às 04h00
 
Comentários Comentários (2) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

15
05/11
Rebelião contra Dilma: o "é dando que se recebe" não funciona

Identificado o imbróglio em torno dos sucessivos adiamentos da votação do novo Código Florestal na Câmara dos Deputados. Nada a ver sobre a falta de consenso no texto final, diz um senador muito próximo do Palácio do Planalto. Há uma “rebelião surda” , principalmente da base, que não dá ouvidos às orientações do líder do Governo, Candido Vaccarezza, e dos líderes partidários para a votação. O problema está longe do campo. Passa pelo Palácio, pelos ministérios, autarquias e estatais. Os deputados estão muito insatisfeitos com o corte das emendas parlamentares, o não cumprimento dos restos a pagar e a demorada indicação de apadrinhados políticos para o segundo escalão do governo.

Quem está sofrendo com isso é o ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, que tem ouvido as reclamações. “Ele tem feito o possível, mas não resolveu nada”, diz o senador.(Informe JB - Leandro Mazzini)

  Escrito por Magno Martins, às 03h30
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

15
05/11
Mulheres em alta: Maria Alice fez uma limpeza na PRF

 Prestes a completar dois meses no cargo, a diretora-geral do Departamento de Polícia Rodoviária Federal, Maria Alice Nascimento e Souza, faz uma limpa no órgão.

Trocou 12 superintendentes estaduais e o número vai crescer nas próximas semanas.

O vigor das mudanças, aliás, deixa claro que a interina Alice será efetivada no posto.

(Ricardo Boechat)

  Escrito por Magno Martins, às 03h00
 
Comentários Comentários (1) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

15
05/11
Ex-governador condenado pelo TCU por desvio de verbas
 O ex-governador de Roraima e atual deputado estadual Flamarion Portela foi condenado pelo TCU a pagar, juntamente com outros dois ex-assessores, 114 000 reais por ter movimentado irregularmente recursos enviados pelo Ministério da Justiça para cuidar da segurança pública no estado. O tribunal constatou que recursos foram sacados da conta específica do convênio sem que houvesse a comprovação de que o governo veículos, equipamentos e materiais permanentes para as policias Civil e Militar. A propósito, Flamarion Portela havia tido sua candidatura barrada por ter sido enquadrado como Lei da Ficha Limpa. Ele teve o mandato de governador cassado em 2004 por abuso de poder econômico e político na campanha de 2002, quando se elegeu pelo PT (hoje está no PTC).
  Escrito por Magno Martins, às 02h00
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

14
05/11
Diretor do FMI retirado de avião, preso por abuso sexual
Dominique Strauss-Kahn, diretor-geral do FMI, participa de reunião com ministro das Finanças da Índia em Nova Delhi. (Foto: Reuters)
Dominique Strauss-Kahn, diretor-geral do FMI
(Foto: Reuters
)

O diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, foi preso neste sábado (14) acusado de suposto abuso sexual contra uma funcionária de um hotel em Manhattan, segundo informações do jornal "The New York Times".

De acordo com o jornal, ele foi preso num avião momentos antes da decolagem do voo para Paris.

O suposto ataque teria acontecido por volta do meio-dia deste sábado. De acordo com o relato de fontes ao jornal, ele teria saído do banheiro, agarrado e jogado a funcionária na cama e a forçado a fazer sexo oral nele.

  Escrito por Magno Martins, às 21h21
 
Comentários Comentários (1) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

14
05/11
Presidente da Câmara assaltada e baleada em Sergipe

 A vereadora e presidente da Câmara Municipal de Ribeirópolis (SE), Lucivania Amarante (PDT), 41, foi baleada na cabeça na manhã deste sábado (14) após sofrer um assalto. O crime aconteceu na na zona rural de Ribeirópolis (75 km de Aracaju). Segundo a Polícia Militar, a vereadora chegava de carro ao canteiro de obras de uma casa em construção quando foi abordada por dois homens em uma moto.

Amarante carregava consigo os pagamentos dos operários. O valor total não foi revelado. De acordo com a PM, os homens anunciaram o assalto, levaram o dinheiro e depois disparam na vereadora, que foi atingida na cabeça. Uma amiga de Amarante estava no carro no momento do assalto, mas não ficou ferida. Nenhum suspeito foi identificado até o momento. Amarante foi levada para o Hospital de Urgências de Sergipe Governador João Alves Filho, em Aracaju. Seu estado de saúde não foi divulgado pelo hospital. (Folha Online)

  Escrito por Magno Martins, às 20h18
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

14
05/11
Supremo para por conta de viagem dos juízes aos EUA

 Nessa semana, quatro dos 11 ministros do Supremo Tribunal Federal estavam em viagem oficial aos Estados Unidos. O presidente Cezar Peluso e os ministros Ellen Gracie, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski foram a Washington participar de um evento chamado Diálogo Judicial Brasil-Estados Unidos. Sem os quatro, o STF ficou sem quórum para julgar processos constitucionais. O colunista da Folha, Fernando Rodrigues, criticou a ida de tantos ministros ao evento.

Ele disse que integrantes do STF visitaram o escritório de advocacia Arnold and Porter, uma das firmas de lobby mais notórias dos EUA e apenas em um coquetel estiveram com o presidente da Corte Constitucional, John Roberts. 

  Escrito por Magno Martins, às 19h00
 
Comentários Comentários (2) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

14
05/11
Quadrilha explode caixa eletrônico em Camocim de São Félix

 Uma quadrilha explodiu um caixa eletrônico, na madrugada deste sábado (14), em Camocim de São Félix (PE). O delegado Guaraci de Brito Sobrinho disse ao G1 que testemunhas viram quando o grupo chegou em dois veículos. “O posto bancário tinha apenas esse equipamento que foi destruído. Eles usaram explosivos para arrebentar a estrutura do caixa. O impacto foi tão forte que quebrou os vidros de uma residência e de uma agência dos Correios que ficam perto do posto”, disse.

Não há informações sobre a quantia roubada. De acordo com o delegado, as investigações devem ter início a partir de segunda-feira (16). “Vamos ouvir as testemunhas e fazer buscas na região para tentar encontrar o grupo”, afirmou. Peritos do Instituto de Criminalística da Polícia Civil analisaram o local.(Portal G1)

  Escrito por Magno Martins, às 18h30
 
Comentários Comentários (5) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

14
05/11
SP: ''Gente diferenciada'' repudia veto ''elitista'' ao metrô

Churrasco de gente diferenciada reúne centenas de pessoas em SP

O churrasco da 'gente diferenciada', organizado a partir das redes sociais contra a possibilidade de mudança no projeto do Metrô de São Paulo, que previa a construção de uma estação na avenida Angélica, em Higienópolis, começou sem carne. Pouco antes das 16h, no entanto, dois rapazes apareceram carregando uma churrasqueira fumegante com pães, espetinhos de legumes, abobrinhas, linguiça e um pedaço de carne. No protesto, cerca de 600 manifestantes - segundo levantamento da Polícia Militar (PM) - bloquearam a avenida Angélica, onde uma churrasqueira foi instalada no meio da via.

O governo de São Paulo desistiu, após pressão de moradores, empresários e comerciantes de Higienópolis, bairro de alto padrão no centro da capital, de uma estação do metrô na avenida Angélica,

Os protestos da Associação Defenda Higienópolis contra a estação reuniu 3,5 mil assinaturas contra o plano, com campanhas na rua e no Twitter. Os moradores alegavam que a nova estação ampliaria o fluxo de pessoas no local, com o consequente 'aumento de ocorrências indesejáveis', além da transformação da área em 'camelódromo'. Ao ritmo de tambores, a multidão entoa gritos de 'Vem, vem, vem pra rua vem, fazer churrasco!' e 'Ei, Kassab, vai tomar metrô!'. No meio da avenida, uma faixa com a frase 'chega de sufoco, todos juntos por mais metrô' foi estendida pelo Sindicato dos Metroviários de São Paulo.

 
  Escrito por Magno Martins, às 18h00
 
Comentários Comentários (2) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

14
05/11
Ataque de Aldo uniu o Partido Verde em torno de Marina

 O ataque do deputado Aldo Rebelo (PC do B) à ex-senadora Marina Silva (PV-AC), na quinta-feira, representou para ela um duplo benefício. De um lado garantiu seu retorno aos holofotes no debate sobre o projeto do Código Florestal, tema que ela explorou bem na campanha do ano passado, da qual saiu em terceiro lugar, com 19,6 milhões de votos. De outro, levou o PV, ainda que com um certo atraso, a se unir em sua defesa, esquecendo temporariamente a disputa interna e o clima de hostilidade a que ela vinha sendo submetida.

A situação de Marina no PV é nebulosa, no mínimo. Após semanas de pregação pelo Brasil, tentando mobilizar setores da militância verde em defesa da realização de convenções e eleições partidárias, ela não obteve até agora nenhum sinal da direção do PV de que suas reivindicações serão atendidas. Alguns de seus assessores mais próximos já não escondem o desânimo, ao mesmo tempo que circulam rumores de que a ex-senadora estaria se aproximado do PPS de Roberto Freire (PE). O desânimo está relacionado ao modo de agir do deputado José Luiz Penna (SP), que preside o PV há 12 anos.

  Escrito por Magno Martins, às 16h00
 
Comentários Comentários (2) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

14
05/11
Presidentes de partidos sem expressão ou sem perfil

Carlos Chagas

 Com todo o respeito, mas os principais partidos, com raras exceções, estão disputando o campeonato nacional com o segundo time, daí as arquibancadas vazias.  Em vez de figuras exponenciais em suas presidências, como era   de praxe, os partidos são hoje dirigidos por políticos de menor expressão e perfil,  desconhecidos até da maioria de seus correligionários.

O PMDB, para começar: de Ulisses Guimarães a Orestes Quércia, Paes de Andrade e até Michel Temer, está presidido por Waldir Raupp, senador por Rondônia, que pelo noticiário ainda não  reuniu uma só vez a executiva nacional. Nenhum pronunciamento se conhece de sua autoria, apenas ocupa a vaga aberta com a ida de  Michel Temer para a vice-presidência da República, abrindo-se a dúvida sobre quem manda mesmo na legenda.

O PT, depois de fundado e presidido pelo Lula, seguido de José Dirceu,  vê-se agora conduzido por Rui Falcão, deputado estadual em São Paulo,  senão contestado ao menos ignorado  pelo fundador e pela presidente Dilma Rousseff.  Fosse feita uma enquete entre os companheiros do país inteiro, quantos responderiam conhecer o passado e até o nome do atual presidente?

O PSDB sofreu uma diminuição de fato, pois o  atual presidente, Sérgio Guerra, sequer conseguiu manter sua cadeira no Senado, representando Pernambuco.  Conformou-se com a eleição para  deputado federal.  É dos que mais se pronunciam, mas perdeu a unanimidade. José Serra gostaria de ocupar a vaga, coisa de que Aécio Neves e Geraldo Alckmin discordam, preferindo a continuação do titular, que influenciam.

O PTB, de Getúlio Vargas e João Goulart, vive hoje num cone de sombra, presidido pelo ex-deputado Roberto Jefferson, cassado e permanentemente excluído das reuniões com o governo, de Lula a Dilma Rousseff. Jamais  cumprimentou a presidente e não foi convidado para sua posse,  apesar de o PTB  integrar a base parlamentar oficial e ter ministros. Jefferson detém o controle das bancadas mas não aparece.

Leonel Brizola, se estivesse entre nós, perguntaria quem é Ernani Mello, substituto de Carlos Lupi, que foi para o ministério do Trabalho desde os tempos do Lula.   Já não era figura nacional, apesar do esforço continuado para suceder o criador do PDT, mas deixou a presidência  mais  ou menos  como Michel Temer deixou o PMDB, atuando na sombra.

Duas exceções, em  matéria de ausência de líderes de primeiro time, são registradas no DEM, cujo presidente é o senador José Agripino, e no Partido Socialista, presidido pelo governador Eduardo Campos. Fala-se muito na paulicéia em Gilberto Kassab, prefeito da capital e articulador da fundação do PSD, mas trata-se de um exagero da mídia concentrada na maior cidade do país. Afinal, poucos o conhecem em Araçatuba, Pindamonhangaba ou Ribeirão Preto. Menos ainda tem lembrança do que foi o velho PSD, mas ganhará um prêmio quem supuser o que vai ser.

Vale o mesmo para os pequenos partidos de pouca expressão e  ainda menor    conhecimento de quem são seus condutores, uma evidência de que, acima e além da reforma política, precisaria acontecer uma revolução na vida partidária. Também, a culpa é deles, que quase sem exceção só pensam em conseguir nomeações. 

  Escrito por Magno Martins, às 15h00
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

14
05/11
Prefeito integra quadrilha que roubou R$ 200 milhões do IR

 Fraudes na declaração do Imposto de Renda (IR) não são mais novidade para a Receita Federal. Mas a ousadia rende reação forte quando é praticada por agente públicos, como estava ocorrendo em várias cidades de Goiás, de Tocantins, de Mato Grosso, do Pará e de Minas Gerais, onde a Polícia Federal (PF) desencadeou, ontem, a Operação Apate devido a esse tipo de irregularidade. Foram cumpridos 82 mandados de busca e apreensão e 13 pessoas foram presas, incluindo o prefeito da cidade de Campinaçu (GO), servidores públicos e contadores. Segundo os primeiros levantamentos do Fisco, em 18 órgãos investigados, o dinheiro arrecadado ilegalmente chegou a R$ 200 milhões.

De acordo com a Receita, várias prefeituras e outros órgãos públicos, como as câmaras de vereadores, participavam do esquema, fraudando a Declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física (Dirf). Para isso, foram usados supostos prestadores de serviços e funcionários fantasmas. Os municípios alegavam que efetuavam pagamentos aos servidores e a empresas, o que não ocorria. Além disso, o dinheiro de uma provável restituição do IR ficava com os integrantes do esquema. Conforme a investigação, funcionários públicos foram coagidos a ajudar na prática da fraude com a promessa de que receberiam milhões em restituições indevidas.(Correio Braziliense)

  Escrito por Magno Martins, às 14h00
 
Comentários Comentários (4) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

14
05/11
Superaposentadorias do Senado serão investigadas, diz Sarney
 Um dia depois de o Correio Braziliense noticiar que o novo plano de carreira garante a aposentados do Senado o recebimento de gratificação por desempenho — um adicional de 60% que deveria ser pago apenas a servidores da ativa —,o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), disse que será feito levantamento para apurar o caso. Segundo ele, a intenção é “verificar se tem excesso e tomar providências”. Excesso? Vem mais por aí. Os repórteres Ana D’Angelo e Fábio Monteiro relatam que o Sindilegis, sindicato que representa os cerca de 3 mil funcionários da Casa, reivindica mais privilégios. Um deles é elevar para 100% a gratificação de desempenho, que hoje é de 60% do maior vencimento básico de cada cargo. No início de carreira, um servidor de nível médio tem salário de R$ 13.833. E o de nível superior, R$ 18.440. Sem contar o adicional por função e outras vantagens.
  Escrito por Magno Martins, às 13h00
 
Comentários Comentários (3) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

14
05/11
Pressão popular deixa vereadores do Rio a pé

 Numa guinada radical, motivada pela forte repercussão negativa da medida, o presidente da Câmara do Rio, Jorge Felippe, decidiu ontem sustar a compra de carros de R$ 69 mil, zero-quilômetro, para os vereadores.

O problema agora é reaver os R$ 2,3 milhões já pagos à Volkswagen pelos 33 primeiros veículos.

A desistência pode implicar em pagamento de multa.(Informações de O Globo)

  Escrito por Magno Martins, às 12h00
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  


Copyright Magno Martins. 2011. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.